Um passeio pelo Marais: uma visita ao bairro mais emblemático de Paris (Guia de viagem 2023)

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Índice

O bairro do Marais, em Paris, é conhecido pela sua rica história, com raízes que remontam à Idade Média. Originalmente, era uma zona pantanosa nos arredores da cidade, que se tornou um bairro residencial no século XIII. Durante os séculos XIV e XV, era uma zona popular para os comerciantes e nobres ricos da cidade, que construíram grandes hôtels particuliers (mansões privadas) na zona.

No século XVII, o Marais tornou-se a casa da corte real francesa durante os reinados de Henrique IV e Luís XIII. O bairro abrigava o Palais Royal, residência da monarquia francesa até à Revolução Francesa. Durante este período, o Marais era um dos bairros mais elegantes da cidade, e era ladeado por muitos edifícios e jardins elegantes.

Após a Revolução Francesa, o Marais entrou num período de declínio, e muitos dos seus grandes edifícios caíram em desuso. No século XIX e início do século XX, a área tornou-se um bairro da classe trabalhadora, com uma grande população de imigrantes, especialmente da Europa de Leste.

Nas últimas décadas, o Marais passou por uma revitalização e é agora um dos bairros mais populares e modernos de Paris. Muitos dos edifícios históricos foram restaurados e a zona alberga agora uma grande variedade de lojas, restaurantes e galerias. É também o lar de uma grande comunidade judaica, e há muitas lojas e sinagogas com temas judaicos na área.

O Marais é também um destino popular para os turistas, uma vez que é o lar de muitos dos pontos turísticos mais emblemáticos de Paris, incluindo a Place des Vosges, o Musée Picasso e o Centre Pompidou.

Descobre as jóias escondidas do Marais

O bairro do Marais em Paris está cheio de coisas para ver e fazer, e oferece algo para todos. Aqui tens alguns destaques:

  1. Praça dos Vosges
  2. Museu Carnavalet
  3. Museu Picasso
  4. Centro Georges Pompidou
  5. Praça dos Blancos-Manteaux
  6. Bairro judeu
  7. Comer fora

Há muitas outras coisas para ver e fazer no Marais, pois é um bairro muito vibrante, vale a pena passear e ver o que podes encontrar.

1. A Praça dos Vosges

A Place des Vosges é uma bela praça no bairro do Marais, em Paris, e é considerada uma das praças mais elegantes da cidade. Foi construída entre 1605 e 1612, durante o reinado do rei Henrique IV, e é considerada um dos primeiros exemplos de planeamento urbano em Paris.

A praça está rodeada por elegantes casas do século XVII, todas construídas com as mesmas fachadas de tijolo vermelho e pedra branca, o que cria um aspeto harmonioso e pitoresco. Muitos dos edifícios foram transformados em museus, incluindo a Maison de Victor Hugo, onde o famoso autor francês viveu de 1832 a 1848. A praça em si tem um jardim central com árvores e pequenas fontes, o que a torna um ótimo local para relaxar e observar as pessoas.

A Place des Vosges foi originalmente construída para ser uma residência real, com os edifícios à volta da praça reservados à nobreza. Mais tarde, foi utilizada como praça de mercado e era um local popular para festivais e feiras. Atualmente, é um local popular tanto para os habitantes locais como para os visitantes e é frequentemente utilizada como cenário para fotografias e filmes de moda.

Uma das características mais marcantes da Place des Vosges é a arcada, que é a primeira do género em Paris. Trata-se de um passeio coberto que rodeia a praça, repleto de lojas e restaurantes. É um local encantador para passear e admirar a bela arquitetura dos edifícios e a própria arcada.

Em suma, a Place des Vosges é uma das praças mais bonitas, históricas e elegantes de Paris, imperdível quando visitas o bairro do Marais, o local perfeito para passear, relaxar, observar as pessoas e admirar a história e a arquitetura da cidade.

Há vários pontos turísticos e atracções notáveis na Place des Vosges que valem a pena visitar:

  1. A Maison de Victor Hugo: Esta é a antiga residência do famoso autor francês Victor Hugo, onde ele viveu de 1832 a 1848. Atualmente, é um museu que apresenta exposições sobre a sua vida e obra, incluindo manuscritos originais, pinturas e objectos pessoais.
  2. O Pavillon de la Reine: Este elegante edifício no lado norte da praça é agora um hotel de luxo, mas foi originalmente construído como residência para Ana da Áustria, a rainha de Luís XIII. Possui um belo pátio ajardinado e é um ótimo local para fazer uma pausa e desfrutar de uma bebida ou de uma refeição.
  3. As Arcadas: Uma das características mais marcantes da Place des Vosges é a arcada, a primeira do seu género em Paris. É um passeio coberto que rodeia a praça, repleto de lojas e restaurantes. É um ótimo lugar para dar um passeio e admirar a bela arquitetura dos edifícios e da própria arcada.
  4. A praça: O jardim central da Place des Vosges é um local encantador para relaxar e observar as pessoas. Há uma pequena fonte central e muitos bancos para te sentares e apreciares o ambiente da praça.
  5. O Museu Carnavalet: O Museu da História de Paris está situado na Place des Vosges e conta a história de Paris, desde os tempos pré-romanos até aos dias de hoje. Apresenta uma impressionante coleção de artefactos, incluindo pinturas, mobiliário e esculturas, bem como uma reconstrução de um típico apartamento parisiense do século XVIII.
pexels david henry 6846478

2. O Museu Carnavalet

O Museu Carnavalet é um museu dedicado à história da cidade. Encontra-se instalado em dois edifícios contíguos, o Hôtel Carnavalet e o Hôtel Le Peletier de Saint Fargeau, ambos edifícios históricos.

O museu apresenta uma grande coleção de artefactos que contam a história de Paris desde os tempos pré-romanos até aos dias de hoje, incluindo pinturas, esculturas, mobiliário e outras artes decorativas. A coleção estende-se desde o período medieval até aos tempos modernos, abrangendo a Revolução Francesa, o Império de Napoleão, a renovação de Haussmann e a história arquitetónica, social e urbana da cidade. As exposições estão divididas cronológica e tematicamente, mostrando o significado histórico e cultural da cidade ao longo dos tempos.

Uma das partes mais interessantes do museu é a reconstrução de um típico apartamento parisiense do século XVIII, que dá aos visitantes uma noção de como era viver na cidade durante esse período, e é um dos pontos altos da coleção.

O Museu Carnavalet possui também uma importante coleção de esculturas, gravuras, desenhos e pinturas, incluindo um grande número de obras de Eugène Delacroix, Gustave Courbet e Edouard Manet, entre muitos outros.

O museu oferece visitas guiadas em inglês e francês, bem como guias áudio gratuitos para os visitantes utilizarem. É um ótimo destino para os interessados na história de Paris, para os entusiastas da arte e da arquitetura e para aqueles que querem aprender mais sobre o passado da cidade. O museu está aberto de terça-feira a domingo, estando fechado às segundas-feiras e em alguns feriados públicos. A entrada no museu é gratuita para os visitantes com menos de 18 anos e para os cidadãos da UE com menos de 26 anos.

3. O Museu Picasso

O Museu Picasso é um museu em Paris dedicado à obra do famoso artista espanhol Pablo Picasso. Está situado no Hôtel Salé, um edifício do século XVII que foi adquirido pela cidade de Paris em 1964 para albergar a coleção.

A coleção do museu inclui mais de 5.000 obras de Picasso, incluindo pinturas, esculturas, desenhos, gravuras e cerâmicas, e é considerada uma das colecções mais completas do trabalho do artista. A coleção abrange desde as suas primeiras obras, do final do século XIX, até às suas últimas peças da década de 1970. Apresenta também obras dos seus contemporâneos, como Georges Braque, Juan Gris e Max Jacob, entre outros.

Uma das características mais interessantes do museu é a grande coleção dos seus famosos períodos Azul e Rosa, incluindo obras como “O velho guitarrista” e “Rapaz com um cachimbo”, que são consideradas entre as suas obras mais emblemáticas. O museu inclui também uma réplica do seu estúdio na Villa La Californie em Cannes, onde os visitantes podem ver algumas das ferramentas, materiais e objectos pessoais que o artista utilizava enquanto trabalhava.

O Museu Picasso também organiza exposições temporárias sobre vários temas, incluindo obras de outros artistas, mostrando diferentes aspectos da obra do artista, ou revelando o processo ou as inspirações do artista.

O museu oferece visitas guiadas em várias línguas e também disponibiliza guias áudio e brochuras informativas para os visitantes. O museu está aberto de terça-feira a domingo, mas encerra à segunda-feira e em alguns feriados. A entrada no museu é gratuita para os visitantes com menos de 18 anos e para os cidadãos da UE com menos de 26 anos.

Em resumo, o Museu Picasso é um excelente destino para os amantes da arte e para qualquer pessoa interessada nas obras do famoso artista espanhol. A coleção abrange uma vasta gama de estilos e períodos, oferecendo um vislumbre do processo e desenvolvimento artístico do artista.

4. Centro Pompidou

O Centro Georges Pompidou, também conhecido como Centro Pompidou, é um museu de arte moderna localizado no 4º arrondissement de Paris, perto do bairro de Marais. Foi projetado pelos arquitectos Renzo Piano, Richard Rogers e Gianfranco Franchini e foi construído entre 1971 e 1977.

A caraterística mais marcante do edifício é a sua estrutura externa de aço, que parece estar do lado de fora do edifício, com tubos de cores vivas, elementos mecânicos e escadas rolantes. Trata-se de um design único que pretendia tornar visíveis as funções do edifício e criar um novo tipo de museu, aberto e acessível a todos.

O Centro Pompidou possui uma coleção de arte contemporânea e moderna internacional, incluindo obras de artistas famosos como Salvador Dalí, Francis Bacon, Yves Klein e Louise Bourgeois. Possui também uma grande coleção de artes gráficas modernas e peças de design, arquitetura e fotografia. O centro possui ainda uma biblioteca de investigação e documentação com mais de 600.000 livros, periódicos e documentos sobre arte e cultura.

O museu também tem um terraço no telhado, que oferece uma vista panorâmica da cidade e é um bom local para fazer uma pausa. O centro também tem uma sala de cinema, um centro de investigação musical e um centro infantil. Para além da coleção permanente, o Centro acolhe também exposições temporárias sobre vários temas, apresentando obras de diferentes artistas e movimentos.

O Centro Georges Pompidou está aberto todos os dias, exceto às terças-feiras, e a entrada no museu é gratuita para os visitantes com menos de 18 anos e para os cidadãos da UE com menos de 26 anos.

Em suma, o Centro Georges Pompidou é um edifício icónico e inovador, é imperdível para os amantes da arte e da arquitetura, a coleção do museu é uma das mais importantes do mundo em termos de arte contemporânea e moderna, e é um ótimo local para fazer uma pausa, apreciar a vista e aprender sobre a cultura e a arte do século XX.

5. A Place des Blancs-Manteaux

A Place des Blancs-Manteaux é uma pequena praça localizada no 4º arrondissement, não é tão conhecida como alguns dos outros pontos turísticos da zona, mas é um local encantador e tranquilo para visitares.

A praça está rodeada por casas típicas parisienses e é um local agradável para um passeio, é bastante pitoresca com uma pequena fonte no centro, rodeada por bancos e árvores. A praça tem o nome do antigo convento de Blancs-Manteaux, que esteve localizado no local até ao final do século XVIII.

Um dos destaques da praça é a Église Saint-Merri, uma bela igreja de estilo gótico que remonta ao século XIV. No interior, podes admirar os belos vitrais, as intrincadas esculturas em madeira e as abóbadas com nervuras. A igreja é conhecida pela sua acústica e, ocasionalmente, realizam-se aí concertos.

Outro destaque da praça é o Museu de Arte e História Judaica, localizado a poucos passos da Place des Blancs-Manteaux, é dedicado à cultura e história judaica em França e exibe uma coleção diversificada de arte, artefactos e documentos que ilustram a história do povo judeu em França e na Europa.

A Place des Blancs-Manteaux é também um ótimo local para comeres ou beberes qualquer coisa. Existem vários pequenos cafés e bistrôs nas proximidades, sendo um local perfeito para um café ou uma pausa para o almoço. Se estás à procura de algo mais substancial, há muitos restaurantes kosher nas proximidades, onde podes provar a cozinha tradicional judaica.

Em resumo, a Place des Blancs-Manteaux é uma praça encantadora e tranquila, não é tão conhecida como alguns dos outros pontos turísticos da zona, mas é um bom local para dar um passeio e apreciar as vistas e os sons do Marais. A praça está rodeada por casas típicas parisienses e tem uma pequena fonte no centro e uma excelente vista sobre a Église Saint-Merri. Fica também perto do Museu de Arte e História Judaica, o que a torna um ótimo local para os interessados na herança judaica da cidade.

6. O bairro judeu

O bairro do Marais, em Paris, é o lar da maior comunidade judaica da cidade, e há uma presença significativa de judeus na área, que é muitas vezes referida como o bairro judeu. A comunidade judaica do Marais tem uma longa história, que remonta à Idade Média, e tem sido uma parte importante da cultura e da história do bairro.

Um dos principais destaques do bairro judeu é a rue des Rosiers, uma rua estreita repleta de lojas, restaurantes e padarias judaicas, onde podes encontrar comidas tradicionais judaicas como falafel, hummus e pastelaria. Há também várias sinagogas localizadas na área, incluindo a Sinagoga de la Victoire, que é uma das mais antigas de Paris, e a Sinagoga de la rue Pavée, que é uma das mais bonitas.

O Museu Judaico de Arte e História também se situa no Marais e é dedicado à cultura e história judaicas em França. Apresenta uma coleção diversificada de arte, artefactos e documentos que ilustram a história do povo judeu em França e na Europa.

Outro local importante no bairro judeu é o Memorial ao Mártir Judeu Desconhecido, que está localizado na Place des Martyrs-Juifs-du-Vélodrome-d’Hiver, é um memorial aos judeus que foram reunidos e mantidos no estádio Vel d’Hiv durante a Segunda Guerra Mundial antes de serem enviados para campos de concentração.

Para além destes locais culturais e históricos, o bairro judeu é também um bairro animado e diversificado, com uma grande variedade de lojas, cafés e restaurantes, o que o torna um excelente local para explorar e conhecer a herança judaica da cidade.

Em resumo, o bairro judeu no bairro Marais de Paris é uma área vibrante e historicamente rica, é um excelente destino para explorar a cultura e a história judaicas, onde podes encontrar comida tradicional judaica, sinagoga, museu, memoriais e muito mais. É um ótimo local para dar um passeio, provar a gastronomia local e experimentar a atmosfera única do bairro.

7. Onde comer no bairro do Marais

O bairro do Marais, em Paris, é conhecido pela sua diversidade e deliciosa cena gastronómica, oferecendo uma vasta gama de opções tanto para os visitantes como para os habitantes locais. Aqui estão alguns dos melhores lugares para comer no bairro do Marais:

  1. Chez l’Ami Jean: Este bistrô parisiense clássico é conhecido pela sua cozinha tradicional francesa e pelo seu ambiente caloroso e acolhedor. O menu apresenta pratos clássicos como confit de pato e guisado de carne, e a lista de vinhos é extensa.
  2. L’As du Fallafel: Este popular restaurante de falafel tem servido deliciosos e crocantes sanduíches de falafel por décadas. É um local de visita obrigatória para quem procura uma refeição rápida e económica.
  3. Le Comptoir du Relais: Este encantador bistrô é conhecido pela sua cozinha francesa simples e tradicional e pelo seu ambiente acolhedor. É um local popular entre os habitantes locais e os visitantes, e o menu inclui pratos como bife frito e escargots.
  4. Breizh Café: Esta popular creperia serve deliciosos e autênticos crepes da região da Bretanha, em França. O menu inclui crepes doces e salgados, e o ambiente é acolhedor e casual.
  5. Septime: Este restaurante da moda é conhecido pela sua cozinha francesa moderna e pelo seu foco em ingredientes sazonais e de origem local. O menu muda frequentemente para refletir as estações do ano, e a lista de vinhos é extensa.
  6. Le Marais: Este bistro acolhedor e elegante serve cozinha francesa clássica num ambiente descontraído e acolhedor. O menu apresenta pratos como escargots e confit de pato, e a carta de vinhos é extensa.
  7. Le Loir dans l’Couchon: Esta brasserie moderna serve pratos clássicos franceses com um toque moderno num ambiente acolhedor e casual. O menu inclui pratos como o bife tártaro e o croque-monsieur, e a lista de vinhos é extensa.
  8. L’Ambassade d’Auvergne: Este bistrô rústico e aconchegante serve uma cozinha saudável e tradicional da região de Auvergne, na França. O menu inclui pratos como aligot (um prato cremoso de puré de batata) e tripoux (guisado de tripas), e a lista de vinhos é extensa.


GOSTASTE DESTE ARTIGO SOBRE O BAIRRO DO MARAIS? PINTA-O!

Se achaste este artigo sobre o bairro do Marais interessante, por favor considera partilhá-lo com os teus amigos. É muito importante para nós 🙂

Explorar mais dicas de viagem